Trabalhadores homossexuais, sustentabilidade e democracia

diálogos para efetivação de políticas públicas no combate à discriminação nos ambientes laborais

Palavras-chave: Capitalismo. Estratégias. Opressão. Trabalhadores Homossexuais.

Resumo

O presente estudo visa averiguar, mediante o viés jurídico-sociológico-antropológico, os constantes preconceitos sofridos pelos trabalhadores homossexuais nos ambientes juslaborais. Portanto, pretende-se tecer críticas ao sistema de opressão capitalista que exclui esses grupos e reforça desigualdades, principalmente, na esfera trabalhista. O enfrentamento da presente problemática pautar-se-á pela perspectiva constitucional do direito fundamental ao trabalho digno e da teoria de Butler acerca da construção social do gênero e das performatividades dissidentes. Posteriormente, se debaterão quais medidas o Direito do Trabalho adota para minimização das discriminações sofridas por sujeitos subalternizados e, dessa maneira, se buscará analisar a importância da proteção jurídica. Portanto, o cerne dessa proposta pedagógica é compreender quais as alternativas de enfrentamento pelo Estado para minimização da homofobia nessas relações laborais.

Biografia do Autor

Breno Lucas Carvalho Ribeiro, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG). Advogado.

Ítalo Moreira Reis, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Doutorando em Direito do Trabalho pela PUC/MG. Mestre em Direito do Trabalho pela PUC/MG. Professor de Direito do Trabalho e Direito Processual da Rede de Ensino Doctum e da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Advogado.

Referências

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

BARZOTTO, Luciane Cardoso. Direitos humanos e trabalhadores. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1998.

BLAINE, B.The Psychology of diversity. Mountain View, CA: Mayfield, 2000.

BOWEN, F. BLACKMON, K. Spirals of silence: The dynamic effects of diversity on organizational voice. Journal of Management Studies, v. 40, n. 6, p. 1393-1417, 2003. Disponível em: https://doi.org/10.1111/1467-6486.00385. Acesso em: 17 mar. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasilde 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [1988]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 24 fev. 2019.

BRITO, Helena Godoy. O acesso e garantia de direitos da população transgênero à política de assistência social. 2014. Monografia (Graduação em Serviço Social) - Universidade de Brasília, Distrito Federal, 2014.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade (1990). Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2013.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CORTINA, L.M.; WASTI, S.A. Profiles in coping: responses to sexual harassment across persons, organizations, and cultures. Journal of Applied Psychology, Bethesda, v. 90, nº 1, p. 182-192, jan. 2005.Disponívelem: https://doi.org/10.1037/0021-9010.90.1.182. Acesso em: 19 mar. 2019.

CARRIERI, A. P., SOUZA, E. M., & AGUIAR, A. R. C. Trabalho, violência e sexualidade: estudo de lésbicas, travestis e transexuais. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 78-95, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rac/v18n1/a06v18n1.pdf. Acesso em: 19 mar. 2019.

CHUNG, Y. B. Work discrimination and coping strategies: Conceptual frameworks for counseling lesbian, gay, and bisexual clients. The Career Development Quarterly, v. 50,n. 1, p. 33-44, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1002/j.2161-0045.2001.tb00887.x. Acesso em: 19 mar. 2019.

COCHRAN, S. Emerging issues in research on lesbians' and gay men's mental health: Does sexual orientation really matter?. American Psychologist, v. 56, n. 11, p. 931-947, 2001. Disponível em: https://psycnet.apa.org/doi/10.1037/0003-066X.56.11.931. Acesso em: 19 mar. 2019.

COX,T. Cultural diversity in organizations: theory, research and practice. São Francisco: Berrett- Koehler Publishers,1994.

CUNHA JÚNIOR, Dirley da. Controle Judicial das Omissões do poder Público. São Paulo: Saraiva, 2004.

DiPLACIDO, J. Minority stress among lesbians, gay men, and bisexuals: A consequence of heterosexism, homophobia, and stigmatization. In: HEREK, G. M. (Ed.). Stigma and sexual orientation: Understanding prejudice against lesbians, gay men, and bisexuals. Thousand Oaks: Sage Publications, 1998, p. 138–159.

DEJOURS, Cristophe. A banalização da injustiça social. 7. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

DELGADO, Gabriela Neves. Direito fundamental ao trabalho digno. São Paulo: LTr, 2006.

DELGADO, Gabriela Neves. Direitos Humanos dos Trabalhadores: Perspectiva

de Análise a partir dos Princípios Internacionais do Direito do Trabalho e do Direito Previdenciário. Revista do TST, Brasília, v. 77, n. 3, p. 59-76, jul./set. 2011. Disponível em: https://juslaboris.tst.jus.br/bitstream/handle/20.500.12178/26897/2011_rev_tst_v077_n003.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 17 mar. 2019.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de Direito do Trabalho. 8. ed. São Paulo: LTr, 2009.

EAGLETON, Terry. A idéia de cultura. São Paulo: Editora UNESP, 2003.

ECCEL, Cláudia Sirangelo; ALCADIPANI, Rafael. (Re)descobrindo as masculinidades. In: FREITAS, Maria Ester; DANTAS, Marcelo. (Org.). Diversidade sexual e trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2012, p. 60-64.

FARAH, Marta Ferreira Santos. Gênero e Políticas Públicas. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 47-71, jan./abr. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2004000100004. Acesso em: 19 mar. 2019.

FERREIRA, R. C.; SIQUEIRA, M. V. S. O gay no ambiente de trabalho: análise dos efeitos de ser gay nas organizações contemporâneas. 2007. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade de Brasília, Distrito Federal, 2007.

FERNANDES, Mateus Beghini. Eficácia privada dos direitos fundamentais nas relações trabalhistas no Brasil. 2008. Dissertação (Mestrado em Direito do Trabalho) - Programa de Pós-Graduação em Direito, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

FRANCO FILHO, Georgenor de Sousa. Direitos Humanos dos Trabalhadores. São Paulo: LTr, 2018.

GARCIA, Agnaldo; SOUZA, Eloisio Moulin de. Sexualidade e trabalho: estudo sobre a discriminação de homossexuais masculinos no setor bancário. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 44, n. 6, p. 1353-1377, nov./dez. 2010. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rap/v44n6/a05v44n6.pdf. Acesso em: 13 mar. 2019.

FRASER, Nancy. Redistribuição, reconhecimento e participação: por uma concepção integrada da Justiça. In: SARMENTO, Daniel; IKAWA, Daniela; PIOVESAN, Flávia. Igualdade, diferença e direitos humanos. 2. ed. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2010, p. 167-190.

GAULEJAC, Vincent. Identité. In: BARUS-MICHEL, J.; ENRIQUEZ, E.; LÉVY, A (Coord.). Vocabulaire de psychosociologie: références et positions. Paris: Érès, 2002, p. 177.

GOMES, Ana Virgínia Moreira. A declaração da OIT de 1998: história, mudanças e desafios. In: GOMES, Ana Virgínia Moreira; FREITAS JÚNIOR, Antônio Rodrigues (Org.). A Declaração de 1998 da OIT sobre Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho. São Paulo: LTr, 2014, p. 19-38.

GREENHAUS, Jeffrey H.; PARASURAMAN, Saroj; WORMLEY, Wayne M.Effects of race on organizational experiences, job performance evaluations, and career outcomes. The Academy of Management Journal, New York, v. 33, n. 1, p. 64-86, mar. 1990. Disponível em: https://journals.aom.org/doi/10.5465/256352. Acesso em: 19 mar. 2019.

GRISCI, Carmem Ligia Iochins.; BESSI, Vânia Gisele. Modos de trabalhar e de ser na reestruturação bancária. Sociologias, Porto Alegre, v. 6, n. 12, jul./dez. 2004. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222004000200007. Acesso em: 23 fev. 2019.

GUGEL, Maria Aparecida. Discriminação do Homossexual nas Relações de Trabalho. In: Seminário Internacional sobre todas as formas de discriminação no Trabalho, Brasília, DF: Ministério Público do Trabalho. Disponível em: www.pgt.mpt.gov.br/publicacoes/pub23.html. Acesso em: 14 mar. 2019.

GUNTHER, Luiz Eduardo. A OIT e o direito do trabalho no Brasil. Curitiba: Juruá, 2012.

GREENHAUS, J.H.; PARASURAMAN, S.; WORMLEY, W.M. Effects of race on organizational experiences, job performance evaluations, and career outcomes. Academy Of Management Journal, v. 33, p. 64-86, 1990.Disponível em: https://www.jstor.org/stable/256352. Acesso em: 19 mar. 2019.

GAULEJAC, Vincent. As origens da vergonha. São Paulo: Via Lettera, 2006.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

HEBL, M. R.; GRIFFITH, K. H. The disclosure dilemma for gay men and lesbians: “coming out” at work. Journal of Applied Psychology, Bethesda, v. 87, n. 6, dez. 2002. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/2003-01068-018. Acesso em: 19 mar. 2019.

HEREK, G.M. Stigma, prejudice, and violence against lesbians and gay men. In: GONSIOREK, J.C.; WEINRICH, J.D. Homosexuality: research implications for public policy. Newbury Park, California: Sage, 1991, p. 60-80. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4135/9781483325422.n5. Acesso em: 23 fev. 2019.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Ed. 34, 2003.

IRIGARAY, H. Prejudice against lesbians, gays, and bisexual employees and its impacts on their health and well being.In: INTERNATIONAL CONGRESS OF APPLIED PSYCHOLOGY, 26., 2006, Athens. Anais [...]. Greece: Hellenic Psychological Society, 2006. CD-ROM.

IRIGARAY, H.A.R; SARAIVA, Luiz Alex Silva. Políticas de diversidade nas organizações: uma questão de discurso?. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 49, n.3, p. 337 – 348, jul./set. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v49n3/v49n3a08.pdf. Acesso em: 19 mar. 2019.

IHERING, Rudolf Von. A luta pelo Direito. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2001.

IRIGARAY, Hélio Arthur. Estratégias de sobrevivência dos gays no ambiente de trabalho. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO (EnANPAD), 31., 2007, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

LOPES, Denilson. O homem que amava rapazes e outros ensaios. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2004.

LOPES, Ana Maria D'ávila; MAIA, Renato Espíndola Freire. Políticas públicas de reconhecimento para a defesa dos direitos humanos dos homossexuais. Revista de Informação Legislativa, Brasília, v. 49, n. 194, abr./jun. 2012. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/496579/000952686.pdf?sequence=1. Acesso em: 22 abr. 2019.

MEDEIROS, M. O trabalhador homossexual, o direito à identidade sexual e a não discriminação no trabalho. In: POCAHY, Fernando. (Org.). Rompendo o silêncio: homofobia e heterossexismo na sociedade contemporânea. Porto Alegre: Nuances, 2007.

MEYER, I. H. Minority stress and mental health in gay men. Journal of Health Sciences and Social Behavior, Bethesda, v. 36, n. 1, p. 38-56, 1995.Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Ilan_Meyer/publication/15461517_Minority_Stress_and_Mental_Health_in_Gay_Men/links/0deec53ad819484a10000000/Minority-Stress-and-Mental-Health-in-Gay-Men.pdf. Acesso em: 19 mar. 2019.

MINAS GERAIS. Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Políticas Públicas. Disponível em: https://politicaspublicas.almg.gov.br/temas/lgbt/entenda/informacoes_gerais.html?tagNivel1 =11465&tagAtual=11465. Acesso em: 15 abr. 2019.

MISKOLCI, Richard. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, ano 11, nº 21, jan./jun. 2009, p. 150-182

MISKOLCI, Richard; PELÚCIO, Larissa. Discursos fora da ordem. Sexualidades, saberes e direitos. São Paulo, Annablume, 2012.

NARDI, H. C. Nas tramas do humano: a sexualidade interdita o trabalho. In: POCAHY, F. (Org.). Rompendo o silêncio: homofobia e heterossexismo na sociedade contemporânea. Porto Alegre: Nuances, 2007.

NEVES, Marcelo. A constitucionalização simbólica. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

NICOLI, Pedro Augusto Gravatá. Fundamentos de Direito Internacional Social: Sujeito Trabalhador, Precariedade e Proteção às Relações de Trabalho. São Paulo: LTr, 2016.

NICOLI, Pedro Augusto Gravatá. A condição jurídica do trabalhador imigrante no direito brasileiro. São Paulo: LTr, 2011.

PINTO, Márcio Morena. Introdução ao direito internacional do trabalho. São Paulo: LTr, 2014.

RIOS, Roger Raupp. Direitos fundamentais e orientação sexual: o direito brasileiro e a homossexualidade. Revista CEJ, Brasília, v. 2, n. 6, set./dez. 2006.

ROSENFELD, Michel. A identidade do sujeito constitucional. Tradução Menelick de Carvalho Netto. Belo Horizonte: Mandamentos: 2003.

RABELO, Adriana Marques. Diversidade sexual nas organizações: vivências e percepções dos trabalhadores homossexuais. 2016. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016. Disponível em: www.biblioteca.pucminas.br/teses/Administracao_RabeloAM_1.pdf. Acessoem: 14 mar. 2019.

SINGH, B. R. R. R.; CORNWELL, J. M. Making the invisible visible: fear and disclosure of sexual orientation at work. Journal of Applied Psychology, v. 92, n. 4, p. 1103- 1118, 2007. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/2007-09571-016. Acesso em: 19 mar. 2019.

SIQUEIRA, M.; FERREIRA, R.; ZAULI-FELLOWS, A. Gays no ambiente de trabalho: uma agenda de pesquisa. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 30., 2006. Anais [...]., Salvador: ANPAD, 2006. CD-ROM.

SANTOS, Rodrigo Leonardo de Melo. A discriminação de homens gays na dinâmica das relações de emprego: reflexões sob a perspectiva do direito fundamental ao trabalho digno. 2016. Dissertação (Mestrado em Direito) - Programa de Pós-Graduação em Direito, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

SANTOS, Dartagnan Ferrer dos Santos. Igualdade, diferença e identidade: três pilares da alteridade nas relações de trabalho de um mundo pluralista. In: BARZOTTO, Luciane Cardoso (Coord.). Trabalho e igualdade: tipos de discriminação no ambiente de trabalho. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. 9. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011.

SILVA JÚNIOR. Arnaldo. A legislação aparente na construção de uma constitucionalização simbólica. Disponível em: http://www.ribeirosilva.com.br/content/pdf/1410201171346.pdf. Acesso em: 14 mar. 2019.

SOARES, Flaviana Rampazzo. Interlocuções entre Direitos Humanos e Direito do Trabalho e a necessária proteção à dignidade da pessoa do Trabalhador. São Paulo: LTr, 2018.

STAFFEN, Márcio Ricardo; SANTOS, Rafael Padilha dos. O fundamento cultural da dignidade da pessoa humana e sua convergência para o paradigma da sustentabilidade. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v. 13, n. 26, p. 263-288, maio/ago. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18623/rvd.v13i26.814. Acesso em: 21 mar. 2019.

SUSSEKIND, Arnaldo. Direito internacional do trabalho. 3. ed. São Paulo: LTr, 2000.

SÜSSEKIND, Arnaldo. Instituições de Direito do Trabalho. São Paulo: LTr, 1996. v. 2.

TRIANDIS, H.C.; KUROWSKI, L.L.; GELFAND, M.J. Workplacediversity. In: TRIANDIS, H.C; DUNNETTE, M.D.; Hough, L.M (Org.).Handbook of industrial and organizational psychology. Palo Alto: Consulting Psychologists Press, 1994.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A Proteção internacional dos direitos humanos e o Brasil (1948 – 1997): as primeiras cinco décadas. 2. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 2000.

THOMPSON, V.; NOEL, J. e CAMPBELL, J. Stigmatization, Discrimination, and Mental Health The Impact of Multiple Identity Status. American Journal of Orthopsychiatry, v. 74, n. 4, p. 529-544, 2004.Disponível em: https://psycnet.apa.org/doi/10.1037/0002-9432.74.4.529. Acesso em: 19 mar. 2019.

VENTURA, Alichelly Carina Macedo; POZZETTI, Valmir César. O direito de ser eu mesmo: os direitos dos homossexuais no ordenamento jurídico nacional e internacional. In: SILVEIRA, Vladimir Oliveira da; DIAS, Jefferson Aparecido; LOPES, Ana Maria D’Ávila. (Org.). Direito internacional dos direitos humanos. Paraíba: Congresso Nacional do CONPEDI, 2014, p. 312-331. Disponível em: http://publicadireito.com.br/artigos/?cod=648d1c9a9c61b78d. Acesso em: 13mar. 2019.

ZANATTA, Elaine Marques. Documento e Identidade: O Movimento Homossexual no Brasil na década de 80. Cadernos AEL, Campinas, n. 5/6, 1997. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2458. Acesso em: 13 mar. 2019.

Publicado
2019-07-15
Como Citar
CARVALHO RIBEIRO, B.; REIS, ÍTALO. Trabalhadores homossexuais, sustentabilidade e democracia. Revista de Direito da Faculdade Guanambi, v. 6, n. 01, p. e250, 15 jul. 2019.
Seção
Artigos