A importância da coordenação, acompanhamento e fiscalização no estágio de estudantes

Palavras-chave: Estágio; Trabalho; Precarização; Formação.

Resumo

As exigências profissionais do mercado de trabalho na sociedade contemporânea concorrem para que os diversos cursos superiores e profissionalizantes incluam em seu conteúdo programático atividades teórico-práticas para que os estudantes concluam seus estudos com trabalhos e tarefas cada vez mais complexos, neles envolvendo procedimento que harmonizem a teoria à prática num ambiente empresarial externo.Este artigo tem por objetivo avaliar a importância a ser dada às etapas do estágio de estudante para a formação profissional.para subsidiar o estudo qualitativo, entrevistamos  20 estudantes do ensino superior encaminhados pelos Agentes de Integração a empresas localizadas nos Municípios de Cariacica e Vitória, localizados no estado do Espírito Santo - Brasil. Destes 35% do sexo masculino e 65% do sexo feminino. As idades dos sujeitos variam de 16 a 29 anos. Apurou-se que os centros educacionais, principalmente aqueles voltados para o ensino superior, tem omitido nas suas funções de coordenação e acompanhamento. No decorrer da pesquisa foi possível entender: se as razões das substituições dos trabalhadores empregados por estagiários, a baixa qualidade dos acompanhamentos e avaliações, os motivos que ocasionaram o crescente aumento de estagiários no mercado formal de trabalho e o seu desvirtuamento.

Biografia do Autor

Jair Teixeira dos Reis, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Espírito Santo, ES, Brasil.

Doutorando em Direito Econômico pela Universidad Internacional Iberoamericana (UNINI). Professor do Mestrado Profissional em Gestão Pública na UFES. Mestre em Educação pela Universidad Internacional Iberoamericana. Especialista em Direito Tributário pelo IBET. Bacharel em Direito pela Unimontes. Auditor Fiscal do Trabalho no Espírito Santo.

Gabriela Fauth, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Doutora em Direito Público pela Universitat Rovira i Virgili, Tarragona/Espanha (2015) com reconhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina (2016). Menção Honrosa Cum Laude e vencedora do Prêmio extraordinário de doutorado - melhor tese em Direito no curso acadêmico 2014/2015. Mestre em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008) com bolsa CAPES e Bacharel em Direito pela Universidade do Vale do Itajaí (2004). Atualmente é pesquisadora posdoutoral FAPERJ no PROURB, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Acreditada ANECA - Profesor Ayudante Doctor (Espanha). Acreditada AQU - Profesor Lector (Catalunha).

Referências

BARROS JR, C. M.; TUCUNDUVA, R. C. M. Estágio e Formação Profissional do Advogado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1980.

BIANCHI, A. C. M.; ALVARENGA, M.; BIANCHI, R. Manual de orientação: Estágio supervisionado. São Paulo: Pioneiras Thomson Learning, 2001.

BIANCHI, A. C. M.; ALVARENGA, M.; BIANCHI, R. Orientação para estágio em Licenciatura. São Paulo: Pioneiras Thomson Learning, 2005.

BONAVIDES, P. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Malheiros, 2000.

CANOTILHO, J. J.G. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. Coimbra: Almedina, 2003.

DELGADO, G. N. Terceirização: paradoxo do direito do trabalho contemporâneo. São Paulo: LTr, 2003.

ESPINDOLA, A. A. S.; SANGOI, B. G. O senso comum teórico do jurista e a arte de reduzir cabeças: em busca de um aporte metodológico para o ensino jurídico. Revista de Direito da Faculdade Guanambi, Guanambi, v. 3, n. 1, p. 37-56, jul./dez. 2016.Disponível em: https://doi.org/10.29293/rdfg.v3i01.100. Acesso em: 15 nov. 2019.

FONSECA, R. T. M. Estágio profissionalizante como instrumento de precarização do trabalho. DEBATE Informativo da Associação dos Agentes da Inspeção do Trabalho de Minas Gerais – Informação Especial. Belo Horizonte, 2001.

FONSECA, R. T. M. O Trabalho de Crianças e Adolescentes no Brasil no Século XXI. Disponível em: http://www2.mp.pr.gov.br/cpca/telas/ca_aprendizagem_47.php. Acesso em: 12 fev. 2015.

INSTITUTO EUVALDO LODI. Lei do Estágio: tudo o que você precisa saber. Brasília: Instituto Euvaldo Lodi, 2010.

MAFUANI, F. Estágio e sua importância para a formação do universitário. Instituto de Ensino superior de Bauru, 2011. Disponível em: http://www.iesbpreve.com.br/base.asp?pag=noticiaintegra.asp&IDNoticia=1259. Acesso em: 3 nov. 2012.

MORAES, A. Direito Constitucional. São Paulo: Atlas, 2004.

NISKIER, A.; NATHANAEL, P. Educação, Estágio & Trabalho. São Paulo: Integrare, 2006.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004.

SOUZA, A. M. R. de. A importância do estágio na formação profissional. Disponível em:http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/20570/a-importancia-do-estagio-na-formacao-profissional. Acesso em: 17 fev. de 2015.

Publicado
2019-11-23
Como Citar
REIS, J.; FAUTH, G. A importância da coordenação, acompanhamento e fiscalização no estágio de estudantes. Revista de Direito da Faculdade Guanambi, v. 6, n. 02, p. e266, 23 nov. 2019.
Seção
Artigos